segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Tudo passa, não é?


Maluco, ser irreverente, tentar inovar e conseguir. Mostrar tua face guerreira e lutar pelo que tu quer. Mas desenhos mal feitos guardados em rasgos de papel, nos mostram uma infância marcada pela ilusão. Ilusão de achar que tudo é fácil, sem ser. Temos muito ainda que aprender. Não podemos viver sem explicações e morrer ainda sem elas. Nem buscar no infinito a resposta para a felicidade barata, comprada pelo homem. Temos que viver. Encontrar a felicidade natural das espécies... Ser irreverente? Sim. Inovar.

Ser irreverente: viver a vida do modo que se sentir feliz e à vontade, sem se importar com costumes antigos e regras sem motivo.

Nenhum comentário: